Blogue Iniciado em 31 Julho de 2008

Trova Nossa

Este Blog pretende ser um espaço de informação sobre várias matérias relacionadas com a Música e o Som de uma forma geral, mas irá ter uma preocupação muito especial com a nossa música tradicional, por um lado, e, por outro, com as Músicas do Mundo.
Estará, como é óbvio, à disposição de todos os que queiram colaborar nesta tarefa de divulgar a a nossa música e enriquecer, com o seu contributo, este espaço que se pretende de partilha.

Publicidade

Pesquisar neste blogue

quinta-feira, 30 de abril de 2009

Traz Outro Amigo Também



Apesar das dificuldades inerentes à montagem deste espectáculo numa sala como a do Outeiro da Cabeça, local onde tiveram lugar as Comemorações do 25 de Abril, não quis a Casa da Cultura de Ponte do Rol, deixar de dar o seu contributo para enriquecer as comemorações dos 35 Anos da Revolução , no concelho de Torres Vedras.
Assim, na noite do passado dia 24, lá estivemos todos, cheios de vontade, para dar o nosso melhor.
Os videos que aqui deixamos são a melhor prova do empenho e dedicação, desse grupo de gente voluntariosa que naquele palco se superou para levar este projecto a bom porto.

Vídeos da 1ª Parte do Espectáculo
Ana Peixoto - Canção de Embalar - Quadro 1 - Recordar a Infância



Diogo Gonçalves - Quanto é Doce - Quadro 1 - A infância do Zeca


Vitaliana Roque - O Meu Menino é D'Oiro - Quadro 1 - Homenagem às Mães



Inês Reis - Balada do Sino - Quadro 2 - Coimbra


Ruben Romão - Saudades de Coimbra - Quadro 2 - Serenata na Sé Velha - Coimbra


Gracinda Assis - Avenida de Angola - Quadro 3 - As Viagens , Angola


Margarida Cunha - Verdes são os Campos - Quadro 3 - As Viagens


Pinto Gonçalves - Menino do Bairro Negro - Quadro 3 - As Viagens, Porto


Quadro4 - O Nascimento da Cantiga: A Formiga no Carreiro


Quadro 5 - O Nascimento da Cantiga:Trova do Vento que Passa


Fátima Santos - Era de Noite e Levaram - Quadro 6 - A PIDE e a Guerra Colonial



Venham mais Cinco - Dança




FINAL DA PRIMEIRA PARTE

__________

_________________________

2ª PARTE

A Noite dos Filhos da Madrugada - Quadro 1 -  Grândola Vila Morena


 Ana Peixoto - Canto Moço 



A Noite dos Filhos da Madrugada - Quadro 2 - A Ocupação do Rádio Clube Português

domingo, 26 de abril de 2009

Projecto "Cantares de Andarilho" Comemora 25 de Abril na ANALOR

Como consequência do trabalho desdenvolvido na preparação do espectáculo "Traz Outro Amigo Também", produzido pela Casa da Cultura de Ponte do Rol, as cantigas do Zeca ficaram no ouvido e na boca de muitos dos participantes.
Assim, decidimos juntar alguns deles neste projecto "Cantares de Andarilho", (o nome do primeiro album de Zeca Afonso) cantando e divulgando as cantigas do Zeca com roupagens diversas.
O grupo é constituido por: Inês Reis, voz e percussões, Fátima Santos, voz e percussões, Gracinda Assis, voz e percussões, Diogo Gonçalves, voz e percussões, Cláudia Silva, flauta e percussões, Pinto Gonçalves, Gutarra, voz e direcção musical.
O grupo apresentou-se já no dia 26 de Abril na sede da ANALOR - Associação dos Naturais e Amigos de Loriga.
Veja as fotos do evento

"Ribombar" nas Comemoraçóes do 25 de Abril

O grupo "Ribombar" participou nas Comemorações Oficiais do 35º Aniversário do 25 de Abril, do Concelho de Torres Vedras, realizadas este ano na Freguesia do Outeiro da Cabeça, onde foi inaugurado o novo Centro Educativo.
Veja as fotos da participação do grupo neste evento.

sábado, 4 de abril de 2009

Noite de Fados

A edição deste ano, da Noite de Fados da Associação de Pais e Encarregados de Educação da EBI Padre Vitor Melícias, decorreu no passado dia 27 de Março sob o signo do sucesso.
A sala esta va completamente cheia e quem esteve presente ficou com vontade de repetir a dose.
Para o próximo ano, há quem já equacione encontrar um espaço maior, uma vez que o Refeitório da escola foi pequeno para acolher a edição deste ano.
Aqui deixamos algumas imagens do evento.



Ribombar em Oliveira de Azeméis

No Passado dia 27 de Março, os Grupos "Ribombar" e "Bué D'Artes", da EBI Pedre Vitor Melícias, participaram na 7ª Edição dos "Eco Encontros em S. Roque" promovidos pela Eco Escola, EB2,3 Comendador Ângelo Azevedo, do Agrupamento de Escolas de S. Roque e Nogueira do Cravo, em Oliveira de Azeméis.
Foi uma bonita jornada de convívio e de intercâmbio entre duas Eco Escolas, que contou com a colaboração do Sector do Ambiente da C. M. de Torres Vedras e do seu Vereador, Carlos Bernardes.
Deixamos aqui algumas imagens dessa jornada de convívio em torno do Ambiente.


sexta-feira, 3 de abril de 2009

Traz Outro Amigo Também


Clicar na imagem para ampliar




Nas Comemorações Oficiais do 25 de Abril do Município de Torres Vedras


Salão da Junta de Freguesia do Outeiro da Cabeça

No próximo dia 24 de Abril, às 22 horas, por iniciativa do Sr. Presidente da Câmara Municipal de Torres Vedras, voltará à cena o espectáculo "Traz Outro Amigo Também" uma homenagem à vida e obra de José Afonso e uma invocação do 25 de Abril. Desta vez a apresentação terá lugar no Salão da Junta de Freguesia do Outeiro da Cabeça, Freguesia que este ano vai acolher as comemorações. Este espectáculo, envolve cerca de meia centena de pessoas. As cantigas do Zeca são interpretadas por várias vozes, ao vivo, acompanhadas por viola, flauta, percussões e, nalguns casos, por Guitarra Portuguesa.Há, também, cantigas coreografadas e dançadas. Foi produzido pela Casa da Cultura de Ponte do Rol em 2008 e a Concepção, Encenação e Direcção Musical são da minha responsabilidade.
Sinopse do Espectáculo
Clique na imagem para ampliar








quarta-feira, 1 de abril de 2009

Ementa ou Amenta das Almas?...

O Esclarecimento que se impõe...
Porque entendemos que é necessário esclarecer as pessoas relativamente a alguns aspectos da nossa memória colectiva, partilhamos com os nossos leitores e com os do jornal Garganta de Loriga (para onde enviámos o artigo), as reflexões e pesquisas que fizemos sobre este assunto.

Há alguns anos atrás, desenvolvemos uma investigação sobre a origem do ritual da “Ementa das Almas”. Esta tradição de Loriga, remonta, de acordo com o estudo por nós efectuado, aos tempos do Canto Gregoriano, por volta dos Séculos IX, X e XI. Tal conclusão assenta na construção “modal” de alguns dos cânticos do ritual, nomeadamente os “Martírios”, embora outros tenham a mesma origem.

Para aprofundar um pouco estes aspectos podem consultar o artigo que sobre este assunto que se encontra publicado neste Blog em http://trovanossa.blogspot.com/2008/09/ementa-das-almas-em-loriga.html .
Mas a questão do nome não é uma questão menor. É que há muitas terras com rituais de Encomendação ou Amenta das Almas, como vulgarmente lhe chamam. No entanto, o nosso ritual difere da grande maioria, não só na forma, mas também na substância. E não somos só nós a dizê-lo.

O grande etnomusicólogo Michel Giacometi, passou por Loriga e trabalhou com António Ascensão na recolha de música religiosa popular. Giacometi tabalhava, na altura, na recolha de espécimes para a sua "Antologia da Música Religiosa Popular Portuguesa", que deveria ser editada pela Valentim de Carvalho.

Em contacto posterior escreveu a António Ascensão, dizendo que os espécimes recolhidos em Loriga eram, sem dúvida, dos mais interessantes que havia recolhido pelo país, pois, no capítulo das Encomendações das Almas, não havia nada que se lhe comparasse.
Este ritual de Loriga, não se compara com as vulgares Amentas das Almas e por isso defendemos que a diferenciação do nome é, também, uma marca de originalidade que passou de geração em geração por tradição oral.

Em Loriga, desde crianças, habituámo-nos a ouvir falar da «Ementa das Almas». Todos aqueles que cumpriam este ritual a ele se referiam desta forma. No entanto, a partir de uma certa altura, começou a constar em Loriga que o termo correcto seria “Amenta” e não “Ementa”.
O curioso desta questão é que uns e outros podem estar certos porque ambos os termos existem e com significados similares.
Segundo Sousa Viterbo*, «amentar», quer dizer: “Quando os pastores da Igreja rezam pelos defuntos”.

No Dicionário da Língua Portuguesa da Porto Editora a palavra «amentar» surge com o significado de «Encomendar as Almas».
No entanto, não quisemos ficar por aqui e fomos procurar a origem das palavras e chegámos a interessantes conclusões.

Segundo o Dicionário Etimológico a palavra «amentar», do Latim amentare surge pela primeira vez na língua Portuguesa no Séc. XVIII e com o significado de «prender com correias, atar».
A mesma fonte refere a palavra «amentar», como tendo origem em mente(lat. Mens mentis) com o significado de intelecto, alma espírito, do Latim Amens amentis com o sentido de que perdeu a mente.

Mas o mais curioso desta nossa procura é que do ponto de vista da origem etimológica do termo, fomos encontrar o termo «ementar», também relacionado com mente, como tendo surgido na língua Portuguesa pela primeira vez no Séc. XIII com o significado de recordar.


Perante estes factos poderemos afirmar que termo «Ementar» é o que vem de encontro à nossa tese de situar o início deste ritual na Idade Média. Por outro lado, os participantes que há décadas atrás diziam que estavam a “Ementar as Almas”, estavam, do ponto de vista do português, cobertos de razão.
Afinal o que é este ritual senão o recordar as almas do purgatório?...

Assim, no caso de Loriga, parece-nos mais correcto dizer a “Ementa das Almas” e não “Amenta das Almas”.
Espero poder ter contribuído para esclarecer algumas dúvidas.
Este é o meu ponto de vista… claro!...

Nota: *In, "Elucidário”, Sousa Viterbo. Cit. p. Armando Leça, Música Popular Portuguesa, p. 10
Pinto Gonçalves
Ocorreu um erro neste dispositivo