Blogue Iniciado em 31 Julho de 2008

Trova Nossa

Este Blog pretende ser um espaço de informação sobre várias matérias relacionadas com a Música e o Som de uma forma geral, mas irá ter uma preocupação muito especial com a nossa música tradicional, por um lado, e, por outro, com as Músicas do Mundo.
Estará, como é óbvio, à disposição de todos os que queiram colaborar nesta tarefa de divulgar a a nossa música e enriquecer, com o seu contributo, este espaço que se pretende de partilha.

Publicidade

Pesquisar neste blogue

sexta-feira, 23 de julho de 2010

Grupo de Cantares "Amanhã" em Lisboa em 1990...

Fomos ao Baú das recordações desencantar esta actuação, por sinal a última, do Grupo de Cantares "Amanhã".
Em 1990, há precisamente 20 anos, desenvolvia a minha actividade na ANPEB - Associação Nacional de Professores do Ensino Básico.
Enquanto professor destacado nesta Associação, estavam-me atribuidas funções de dinamização de actividades culturais e recreativas, bem como a coordenação do Centro de Recursos que havíamos criado na sede de Lisboa, na Rua Pascoal de Melo.
Havia de ser também aqui, devido aos recursos existentes que, dois anos mais tarde, nasceria o Garganta de Loriga.
Mas falemos do Grupo "Amanhã"...
Um dos projectos que apresentei nesse ano foi o da realização de um Espectáculo de Musica Tradicional Portuguesa.
Aprovado o projecto, havia que fazer os contactos e assegurar as condições de logística, para a realização do mesmo. Assim, para abranger várias regiões do país, contactei o Grupo de Pauliteiros dos Professores de Miranda, o Rancho Etnográfico da Idanha-a-Nova, a Orquestra Típica Albicastrense, o Grupo de cantares "Amanhã" e para encerrar o espectáculo, o Pedro Barroso.
O Grupo "Amanhã" estava já muito desfalcado, devido a alguns problemas que haviam surgido, mas o meu tio, António Ascensão, mentor e responsável do grupo, garantiu-me que arranjaria gente suficiente para este compromisso.
E, foi assim, que o Grupo se juntou, de novo, para a actuação no Teatro S. Luis. Esta foi, de facto, a última actuação deste grupo que divulgava a música de Loriga.
O espectáculo foi registado em video pela ANPEB, ainda em VHS.
Há muito tempo que tínhamos a intenção de o passar para o formato digital. Só agora surgiu essa oportunidade.
Apesar da fraca qualidade da imagem, entendemos que o essencial, a música, tem audibilidade razoável e, portanto, como documento histórico, pensamos ser interessante divulgar esta relíquia.
Por outro lado, aproveito para prestar, assim, mais uma homenagem ao Mestre Ascensão que, para além de todo o trabalho de recolha dos temas, ainda se preocupou em formar um grupo que os divulgasse por esse país fora.
É que depois deste "Amanhã", surgiriam outros grupos a divulgar a nossa música. São exemplos disso o Novo Horizonte, em Loriga, o Arco-Íris, Malhapão e Eira da Pedra em Sacavém, no âmbito da ANALOR. Ainda, o Trova Nossa, projecto que liderei na Casa Pia de Lisboa e, mais recentemente o "ComCordas" que inclui no seu repertório algumas das suas recolhas.
Eis o primeiro de alguns temas interpretados pelo grupo neste espectáculo:

À Entrada de Loriga




Um outro vídeo, com a entrega de lembranças e mais um dos temas apresentados:

Adeus Terreiro do Fundo

terça-feira, 20 de julho de 2010

Férias...


Ao longo deste mês de Agosto, a actividade do Blogue diminuirá significativamente.
Primeiro, porque estou de férias e também esta actividade entrará numa certa letargia. Depois, porque os meus projectos estão parados até Setembro e, portanto, sem eventos para noticiar.
Como curiosidade deixo aqui uma lista das actuações do RiBombar ao longo do ano lectivo que agora termina:



Estaremos de volta em Setembro. Até lá... bom trabalho ou ... boas férias se for o caso!


domingo, 18 de julho de 2010

Carnaval de Verão 2010 com Participação do RiBombar

Realizou-se ontem, 17 de Julho, mais uma edição do Carnaval de Verão, em Santa Cruz.

"Já com 15 anos de história, este Carnaval assume-se como um encontro de festas de Carnaval de Portugal.
Em 2010 conta com a presença dos Caretos de Podense e de grupos de samba nacionais, terminando com um concerto de música carnavalesca, ao som da Banda Baco, no Largo Jaime Batista da Costa, seguido de um grande fogo de artifício na Meia Laranja (Largo Antero de Quental)" Promotorres

O RiBombar foi um dos grupos torreenses que integrou o desfile, tal como no ano transacto, juntamente com alguns grupos de mascarados do nosso Carnaval.
Foi mais uma jornada de convívio e alegria para os jovens percussionistas e gaiteiros que agora vão ter o merecido descanso das férias de verão.
Em Setembro, estaremos de volta, para dar as boas vindas aos novos elementos e para a nossa primeira actuação do próximo ano lectivo, já a 24 de Setembro em Porto de Mós.
Aqui ficam alguns momentos vividos pelo grupo, durante esta edição do Carnaval de Verão, desde os preparativos até ao "pós desfile".

quarta-feira, 14 de julho de 2010

História de uma actuação que o não chegou a ser...


Tal como havíamos noticiado no último "post", no Domingo tínhamos previstas mais duas actuações. Uma por volta das 12:00h, outra, imediatamente antes da partida da etapa, às 14:00h.
Fomos, entretanto informados de que só haveria lugar a uma actuação, a das 14:00h.




Assim, no Domingo, dia 11, à hora marcada, lá nos fomos juntando em frente ao Restaurante Diamante, onde iríamos almoçar.
O almoço decorreu com normalidade e, terminado este, começámos a dirigir-nos para o local da actuação.
Os comentários de circunstância: - Mas é ali que vamos actuar?... O palco é muito pequeno.
Alguém lembrou: -Este palco é o mesmo do Sobral. Temos que formar da mesma maneira.
Outra questão: - Não era melhor fazermos duas filas?
- Sim, mas os de trás têm que ficar nos intervalos dos da frente.


Enfim! O ritual da afinação começou... ao mesmo tempo decorria a colocação dos "franjeiros"... montavam-se as estantes... reviam-se as letras para as ordenar de acordo com o alinhamento.
Tudo estava a postos...
Mas... nesta altura... já passava das 14:00h e perguntávamos à organização onde parava o som.
Estava a ser montado do outro lado da estrada. É que do lado onde estava o palco não havia corrente eléctrica. Assim, só tínhamos disponíveis dois microfones, sem fio, para sonorizar um grupo com 13 pessoas, pois não era permitido colocar cabos de microfone a atravessar a estrada. A tarefa adivinhava-se difícil!!!...
Entretanto já eram 14:20h e as condições técnicas mantinham-se. Mas... havia mais um pormenor... o "Speaker" da prova alertava-nos para o facto de que, 15 minutos antes da prova, de acordo com os regulamentos, não podia haver animação.
Enfim... Dados os constrangimentos e, em consenso com a organização, decidimos que o melhor, mesmo, seria esquecermos a nossa actuação e dar seguimento ao programa.
Programa que passava pela cerimónia das camisolas e pela deposição de uma coroa de flores no Monumento ao Joaquim Agostinho.





Assistimos ao que restava do programa antes da partida e à partida dos ciclistas para mais uma etapa, que seria a última, deste 33º Troféu Joaquim Agostinho. Troféu que foi brilhantemente ganho pelo "Foguete da Rebordosa" Cândido Barbosa, que assim juntou ao seu vasto palmarés esta prova que nunca tinha vencido.



E termina assim esta "História de uma actuação que não chegou a ser... actuação"...
Ficam as fotos a ilustrar o que atrás foi reportado.



sexta-feira, 9 de julho de 2010

O Grupo "ComCordas" na Caravana do Troféu Joaquim Agostinho




O "ComCordas" - Grupo de Cavaquinhos de Torres Vedras, integrou hoje a caravana deste evento ciclista, cabendo-lhe a animação da partida e da chegada da 2ª Etapa, entre Sobral do Monte Agraço e Carvoeira.



Actuação do Grupo antes da Partida, em Sobral do Monte Agraço
Foto Carla Esteves

O Grupo juntou-se pelas 9:30h, na sede da UDO - União Desportiva do Oeste, entidade organizadora do evento, e o nosso habitual local de ensaios.
Haveria de chegar, pouco tempo depois, o "minibus" da Junta de Freguesia da Carvoeira, que nos transportaria, durante todo o dia.
Pelas 10:30h, chegávamos à bonita Vila de Sobral do Monte Agraço, onde já era visível o reboliço provocado pela numerosa comitiva desta prova ciclista que conta com o maior pelotão de todas as 33 edições: 19 equipas e 129 ciclistas.

Dirigimo-nos, de imediato, ao camião-palco onde, habitualmente, decorrem as cerimónias de pódio, local previsto para a nossa actuação.
Exibimos os nossos dotes instrumentais e "canoros" durante cerca de 40 minutos, perante o público que, entretanto se juntara no local para ver partir a comitiva.
No final, assistimos à cerimónia da investidura das camisolas e à partida simbólica, uma vez que a partida real seria dada um pouco mais tarde à saída da vila.

Ciclistas em pelotão, seguidos da procissão de carros de apoio e, o nosso "minibus", também, em movimento em direcção à Carvoeira onde o almoço estava marcado para cerca das 12:30h.
Marcha que foi bruscamente interrompida pelos batedores da GNR, já muito próximo do nosso
destino, pois o pelotão aproximava-se.
Encostámos à berma e esperámos, para também incentivar os ciclistas com os nossos calorosos aplausos.
Depois da passagem do habitual "carro vassoura", lá seguimos viagem em direcção ao almoço.
O Restaurante Cristóão, propriedade do simpático Presidente da Junta de Freguesia da Carvoeira, José Manuel Cristóvão, foi onde retemperámos energias para a segunda etapa da nossa missão, enquanto animadores da caravana.
Às 14:00h, novamente em marcha, em direcção ao cume da Serra de S. Julião, onde se situa o Parque Eólico da Carvoeira, para onde estava previsto o final da etapa de hoje.
Chegados ao Parque, subimos para o camião-palco e após um breve teste de som iniciámos a actuação da tarde. Esta, um pouco mais longa que a da manhã, decorreu intercalada com algumas informações sobre o decorrer da etapa, veiculadas pelo "speaker" oficial da prova.

Actuação do Grupo antes da chegada, no Parque Eólico da Carvoeira

Pouco depois das 15:00h, e perante a proximidade do pelotão, encerrámos a nossa actuação e aguardámos a chegada dos ciclistas, com mais uma vitória do Camisola Amarela, Cândido Barbosa.
Foi uma jornada de convívio, recheada de novas experiências e emoções. Todos deram por bem empregue o tempo e a disponibilidade que dispensámos para participar neste evento.
E, no Domingo, em Torres Vedras, lá estaremos para cumprir o 2º dia da nossa participação nesta 33ª Edição do Troféu Joaquim Agostinho em Ciclismo.
Aqui deixamos algumas fotos de momentos significativos da nossa aventura deste dia no meio da caravana ciclista.




quarta-feira, 7 de julho de 2010

Festa da Nª Srª da Guia - Padroeira dos Emigrantes - em Loriga

Clique para ampliar o cartaz

Entre 29 de Julho e 2 de Agosto terá lugar em Loriga a Festa de Nª Srª da Guia.
Invariavelmente, todos os anos acorrem a Loriga os seus filhos que vivem e trabalham nos mais diversos locais do país e do estrangeiro. Presumo que, por essa razão, na edição deste ano, a mordomia tenha dedicado um dia, a Segunda-Feira dia 2, aos Emigrantes.
Esta é, de facto, a maior realização festiva de Loriga, desde há mais de um Século, quando os primeiros loriguenses emigraram para o Brasil, para se estabelecerem em Manaus, onde, ainda hoje existe uma significativa colónia de loriguenses e seus descendentes, que, por sinal, também veneram a Nª Srª da Guia,com igual fervor.

A propósito deste evento, relembro um "post" que há tempos atrás aqui publiquei.


Clique no título para ver o "Post"



segunda-feira, 5 de julho de 2010

Parabéns!... Pelos 104 anos ao Serviço da Cultura Musical de Loriga.


Não é todos os dias que se comemoram 104 anos!...
Poucos são os seres humanos que se podem gabar de ter atingido esta provecta idade. No entanto, instituições há, que perduram ao longo de anos e anos, séculos e até milénios.
A Sociedade Recreativa e Musical Loriguense, fundada em 1 de Julho de 1906, é uma das instituições que já ultrapassou um Século de existência, pelo que atingiu um estatuto que também lhe confere uma responsabilidade acrescida.
Responsabilidade que, ao longo dos anos, lhe permitiu ser a grande embaixatriz de Loriga, pelos quatro cantos do país e até no estrangeiro, como aconteceu com a sua brilhante actuação no Luxemburgo, para a comunidade portuguesa, em geral e para a loriguense, igualmente numerosa naquelas paragens, em particular.

A sociedade Recreativa e Musical Loriguense comemorou este aniversário no passado dia 4 de Julho, Domingo, com uma Missa Solene e um Almoço convívio que juntou músicos, ex-músicos e população em geral.
Os Blogues de Loriga publicaram inúmeras fotos do evento. No entanto, tomei a liberdade de editar e publicar aqui três delas, retiradas do Blogue Tudo por Loriga


O Bolo do Aniversário

O Ti António da Santa (Sax Tenor) e o Ti Mário Lapeiro (Bombardino), dois dos ex músicos mais emblemáticos da Banda de Loriga, ao longo de quase 50 anos


O meu tio António, irmão do meu pai, que dedicou 40 anos à Banda de Loriga e mais seis à de Carragosela, aqui acompanhado pelo Joaquim Gonçalves de Moura, Presidente da Banda na altura do Centenário


Pois, nesta passagem do 104º Aniversário, não quero deixar de prestar a minha sentida homenagem a esta importante instituição loriguense, à qual também me ligam laços de união familiar, pois por lá passaram, o meu avô, o meu pai, alguns dos meus tios e vários primos, como o António Luís de Brito, que foi Maestro da Banda entre 1969 e 1974.



No entanto, o expoente máximo desta representação familiar, foi o saudoso Mestre António Ascensão, irmão mais velho da minha mãe, que regeu a banda nos períodos de 1949 a 1953, de 1962 a 1965 e de 1982 a 1987.

Na sua última passagem pela regência da banda, deixou um importante legado na instituição, pois foi o criador da Escola de Música da Banda, recurso sem o qual a mesma não teria no futuro o êxito que hoje se conhece. O seu último contributo foi a Marcha do Centenário, interpretada no dia da comemoração por 8 bandas em simultâneo.
Ele esperava poder ser o regente nesta ocasião, mas infelizmente, tal não foi possível, pois deixou-nos, alguns meses antes.


No dia da comemoração, as 8 Bandas presentes executaram a Marcha do Centenário em simultâneo
Clique para ver o vídeo


Aqui ficam duas fotos que encontrei publicadas no Blogue: Filha de Loriga
Fotos de formações da banda que o meu pai integrou, já que a sua participação foi um pouco intermitente. O Regente era, nesta altura, o avô da autora do referido Blogue, o Sr. António Ramalho.

Clique nas imagens para ampliar
Fotos do Blogue:Filha de Loriga


Por outro lado, também gostaria de divulgar aqui um excerto da passagem da nossa banda pela localidade em que resido, Ponte do Rol.
A Ponte do Rol tem uma banda muito jovem. Acabou de comemorar o 10º Aniversário.
Assim, na altura da comemoração do Centenário da Banda de Loriga, em conversa com o Maestro Pedro Carimbo, da Banda Ponterrolense, achámos que poderia ser interessante para uma banda tão jovem participar numa comemoração de uma congénere com aquela idade. Estabelecidos os contactos, ficou assegurada a presença na dita comemoração com um importante contributo da ANALOR que apoiou a deslocação desta banda a Loriga.
A Banda da Juventude Musical Ponterrolense foi a única banda participante de fora do Concelho de Seia.




A Banda de Ponte do Rol em Loriga na Comemoração do Centenário

No ano seguinte, foi a vez de a banda de Loriga retribuir a visita. Assim, por ocasião do Aniversário da ASAS - Associação de Solidariedade e Acção Social, instituição à qual a banda ponterrolense pertence, a Banda de Loriga foi a convidada de honra.
Após uma Cerimónia de Boas Vindas no adro da Igreja, que contou com a presença do Presidente da Câmara de Torres Vedras, Dr. Carlos Miguel, seguiu-se um Concerto pelas duas bandas no Salão Paroquial.
O video que aqui apresentamos recorda o momento da execução de uma Marcha, pelas duas bandas, em simultâneo, com a regência, alternada, dos dois Maestros.

Ocorreu um erro neste dispositivo