Blogue Iniciado em 31 Julho de 2008

Trova Nossa

Este Blog pretende ser um espaço de informação sobre várias matérias relacionadas com a Música e o Som de uma forma geral, mas irá ter uma preocupação muito especial com a nossa música tradicional, por um lado, e, por outro, com as Músicas do Mundo.
Estará, como é óbvio, à disposição de todos os que queiram colaborar nesta tarefa de divulgar a a nossa música e enriquecer, com o seu contributo, este espaço que se pretende de partilha.

Publicidade

Pesquisar neste blogue

domingo, 30 de maio de 2010

O RiBombar no VI Festival Internacional de Percussão - Portugal a Rufar 2010

Realizou-se hoje, dia 30 de Maio, a VI edição do Portugal a Rufar, no Seixal, com a presença de cerca de meia centena de grupos.
Pela primeira vez o Grupo RiBombar, participou no Desfile do Dia do Bombo.
Foi um dia em que grupos vindos de todo o país, animaram as ruas do Seixal, dando um colorido e uma sonoridade única a um dia cheio de sol e de muito calor. Mas nem isso esmoreceu as centenas de participantes e os milhares de visitantes.
Quanto a nós, ficámos certamente mais enriquecidos com esta experiência e pudemos apreciar inúmeros estilos e géneros diferentes, provando que muito está ainda por descobrir e criar no mundo da música, em geral e no da percussão em particular.
Aqui deixamos fotos e um video deste evento ímpar no nosso país.




domingo, 23 de maio de 2010

Cantiga da Roda

É interessante percebermos que, grande parte das nossas cantigas, provém ou de tarefas agrícolas, que necessitavam de uma certa cadência, marcada pelo ritmo das cantigas ou, ainda, de rituais de diversão, muitas vezes realizados a caminho dos locais onde decorriam as festividades.
Daí ter-se-lhes chamado ou Cantos de Trabalho ou Cantigas de Romaria.
Deixamos aqui um excelente exemplar de um Canto de Trabalho: A Cantiga da Roda - da Beira Baixa, Pampilhosa da Serra.




sábado, 22 de maio de 2010

Uma maneira de ver...

Aqui publicamos mais um excelente apontamento da Professora Maria do Espírito Santo, que, com a sua sensibilidade e generosidade, vai contribuindo para enriquecer este Blog:

Aconteceu a primeira actuação do Grupo "ComCordas". Foi no dia 14 de Maio, na Festa anual de Ponte do Rol, integrada no 1º Festival de Música Tradicional.
A noite não estava muito agradável e uma chuva miudinha e fria haveria de incomodar a assistência em quase metade da nossa actuação. Mas era a primeira!
Antecipadamente eu desejava que ela tivesse a força, o encanto e a magia de tudo o que acontece pela primeira vez.
E, aos meus olhos de ler na alma, teve. Teve a força de um grupo unido à volta do seu professor, na vontade de fazer o melhor e no desejo de poder dizer: "Professor, esta é a sua gente, confie"; teve o encanto das cores misturadas dos "franjeiros" e do ritmo balançado do nosso movimento; e teve a magia da nossa gente, gente com uma juventude já perdida no tempo, mas que nesta noite tocou a força de viver e cantou o amor que tem à sua idade.
E aos meus olhos de ver o mundo?
Ah! Esses disseram-me: "Dá tempo ao tempo..."
Porque será que eu gosto mais dos meus olhos de ler a alma?...
Maria do Espírito Santo


Porque só eles sabem que o sonho... Como dizia o poeta: O sonho comanda a vida e... sempre que um homem sonha... o mundo pula e avança... com o bola colorida, entre as mãos de uma criança...


sábado, 15 de maio de 2010

1º Festival de Música Tradicional em Ponte do Rol

Como oportunamente anunciámos, decorre, durante este Fim-de-Semana, no âmbito da Festa em Honra do Senhor Jesus dos Aflitos, o 1º Festival de Música Tradicional de Ponte do Rol.
No primeiro dia, 14 e Maio, assistimos à estreia do Grupo "ComCordas" - Grupo de Cavaquinhos de Torres Vedras, seguido da actuação do Sr. Manuel Lazaroo, lusodescendente, natural de Malaca, na Índia, responsável pela preservação da cultura portuguesa naquelas paragens, já que é lider de um grupo de folclore português, naquela localidade.
Encerrou o primeiro dia do Festival o grupo de alunos da Escola de Percussões RiBombar.


Síntese fotográfica do primeiro dia do Festival



Momento da Actuação do "ComCordas" - Grupo de Cavaquinhos de Torres Vedras


Momento da Actuação do Grupo da Escola de Percussões "RiBombar"

No segundo dia, foi a vez do Rancho Tradicional de Cinfães.
Pelo palco, desfilaram as tradições desta região do Douro Sul, com uma brilhante guia, a Profª Hermínia, que nos mostrou os trajes, as tarefas, os rituais e as danças da sua região. Com o Largo da Igreja completamente cheio, desta vez com a cumplicidade de S. Pedro, já que a chuva da noite anterior não nos visitou, cumpriu-se mais uma etapa deste Festival que trouxe a Ponte do Rol, um pouco da diversidade cultural do nosso país.



Síntese fotográfica do segundo dia do Festival

E no Domingo, dia 16, encerrámos com chave de ouro, com as tradições do Alto Minho.
Foi a vez do Rancho e do Grupo de Cavaquinhos da Casa do Concelho de Ponte de Lima. A alegria e o entusiasmo das gentes do Minho, contagiaram a Ponte do Rol, que aplaudiu efusivamente ambos os grupos.
O momento pitoresco da actuação do Rancho aconteceu, quando... abruptamente a dança foi interrompida por uma zaragata provocada por um bêbedo. O realismo da encenação foi tal que, muitos dos presentes acharam que se tratava de uma verdadeira zaragata.


Segui-se o grupo de Cavaquinhos que encantou os presentes, com as suas cantigas bem ritmadas e com a sincronização perfeita dos executantes.
Encerrou-se assim, este 1º Festival de Música Tradicional de Ponte do Rol que, esperamos se repita nos próximos anos com a mesma adesão de público e com a mesma qualidade de intervenientes.





Síntese fotográfica do terceiro dia do Festival




sexta-feira, 14 de maio de 2010

25 Anos de Dedicação aos Outros.... Parabéns Pe. Jorge!



Clique no cartaz para ampliar

Cumpriram-se, no passado dia 4 de Maio, 25 anos da Ordenação do Padre Jorge Fernando Duarte Amaro.

Para além de meu primo e companheiro de muitas brincadeiras de infância, trilhámos, durante alguns anos um percurso comum enquanto seminaristas. Fomos acólitos, leitores, cantores e, tantas outras coisas que na altura se exigiam a um seminarista.


Missa da Festa da Nª Srª da Guia, provavelmente em 70 ou 71. Os acólitos... o Pe. Jorge à esquerda e eu à direita. (foto cedida pelo Adelino Pina)

Por outro lado, fomos também bons amigos, já que tínhamos um percurso comum, com algumas nuances, que cedo descobrimos serem diferenças significativas.
Ele andava num Seminário Missionário e eu num Diocesano. Isso fazia toda a diferença!
Daí que em determinada altura eu abandonei e ele continuou.
Voltámos a encontrar-nos no Cacém. Ele estudava Teologia na Universidade Católica e eu Direito na Faculdade de Direito de Lisboa. A vocação dele reforçava-se através do apostolado que, já na altura ia fazendo. Lembro-me de ter colaborado com ele, com a minha viola, numa dessas acções, junto da, então, pequena comunidade de S. Marcos, que hoje, com o Tagus Park, se transformou quase numa cidade.
Terminado o curso, rumou a Espanha e... a partir daqui... as sete partidas do mundo.
Podemos hoje dizer que o Pe. Jorge seguiu na senda dos nossos descobridores, desde as Terras do Prestes João da Abissínia, até ao Novo Mundo.
Hoje, regressado à pátria, faz apostolado junto dos seus, através do seu testemunho de vida com uma riqueza extraordinária.
No ano passado convidei-o para pregador das Festas de Ponte do Rol, onde resido e... com a sua simplicidade e desprendimento, cativou quantos com ele contactaram.
Ainda hoje - aproximam-se as festas nos próximos dias 13,14,15 e 16 - alguém me perguntava se o Pe. Jorge vinha cá pregar outra vez este ano.
No próximo dia 26 de Junho festejará em Loriga as suas Bodas de Prata, num programa que aqui divulgamos.
Parabéns Padre Jorge!
Muito obrigado pelo exemplo de vida que nos deste e, certamente, continuarás a dar!


quinta-feira, 13 de maio de 2010

A Força de Acreditar...




Somos o grupo “ComCordas”

Com cordas vamos tocar

Para ser um “ComCordante”

Só é preciso sonhar …


Nós sonhamos o futuro

Que o passado está vivido

Nós cantamos a alegria

Que à vida dá sentido.


Nas cordas do cavaquinho

Pedaços d´alma deixamos

Em notas soltas e vivas

Destas trovas que tocamos.


E um cantar novo de gente

Já se ouve pela cidade

É o nosso Grupo “ComCordas”

Com cordas mas sem idade.


Na sequência do texto “Nunca é tarde para sonhar…” esta brincadeira em meia dúzia de rimas de pé quebrado que não tem outro significado se não o de tentar mostrar que, na passagem do tempo, somos cada vez menos 16 elementos e cada vez mais um grupo. E eu estou a gostar ser parte deste todo, um todo mais alegre, mais motivado, mais confiante em ser “Alguém” …

E a quem devemos este acreditar? A si, professor, e por isso obrigada.

Maria do Espírito Santo

Quem assim escreve tem alma de artista!...

De facto, quando há três meses fui abordado no sentido de ensinar Cavaquinho a um conjunto de pessoas, ainda com um número indefinido, estava longe de imaginar, que estivesse hoje assistir à estreia de um Grupo de Cavaquinhos.
Mas... na realidade, eu nada fiz!
Sim, porque apenas me limitei a fazer o que sempre faço: Incutir nos meus alunos a vontade de se superarem... de procurarem, amanhã, ser melhores que hoje.
Estabelecendo metas e objectivos muito concretos, difíceis, mas concretizáveis. Apoiando-os nas suas dificuldades e ensinando-os a conviver com a pressão.
Neste caso, nem foi preciso ir tão longe.
Percebi desde cedo que, a vontade e determinação, o entusiasmo e a alegria, seriam o combustível ideal para pôr em marcha este veículo.
E... não me enganei.
Três meses volvidos... eis que o "ComCordas" se estreia para gáudio de todos os seus membros, mesmo os mais receosos. Sim, que ter receio, não é impeditivo de subirmos ao palco e enfrentando os nossos fantasmas, superarmo-nos mais uma vez, tendo a consciência de que, dando o nosso melhor, contribuiremos para o sucesso do colectivo.
Afinal é esta a essência do que se considera um verdadeiro "Grupo".
Não, já não somos um conjunto de pessoas... Agora somos o Grupo ComCordas.
Obrigado pelas suas palavras, mas o mérito é vosso!
Pinto Gonçalves

quarta-feira, 12 de maio de 2010

1º Festival de Música Tradicional - Ponte do Rol



Clique no Cartaz para ampliar

No âmbito das Festas de Ponte do Rol, em honra do Senhor Jesus dos Aflitos, que se realizam, este ano, com a organização do Grupo Desportivo Recreativo e Cultural Ponterrolense, foi-nos pedida a colaboração para a organização deste evento: o "1º Festival de Música Tradicional".
Assim, após algumas diligências efectuadas conseguimos elaborar um programa variado e equilibrado, representando várias regiões e géneros.
Inicia dia 14 de Maio, às 21:00h, com a estreia do "ComCordas" - Grupo de Cavaquinhos de Torres Vedras, seguido da actuação de Manuel Lazaroo, mais conhecido como Papa Joe, oriundo de Malaca, que é o grande divulgador da Música Tradicional Portuguesa naquelas paragens. Finalizamos o primeiro dia com as percussões tradicionais acompanhando a Gaita de Foles e a Concertina, com a Escola de Percussões "Ribombar".
No segundo dia, Sábado, dia 15, às 21:00h, é a vez do Rancho Tradicional de Cinfães, representando a Região Duriense.
Encerra o festival o Alto Minho, no Domingo, dia 16, às 18:30h, com as exibições do Rancho e do Grupo de Cavaquinhos da Casa do Concelho de Ponte de Lima.
Fazemos votos para que esta iniciativa tenha continuidade nas festas dos próximos anos, uma vez que a preservação da nossa tradição cultural é um valor inestimável que não podemos deixar de defender e preservar.

terça-feira, 11 de maio de 2010

Fernando Lopes Graça - Michael Giacometi e a Preservação da Música Portuguesa

Já em "posts" anteriores me referi à relevante acção de Michael Giacometi, enquanto etnomusicólogo, na recolha e divulgação de espécimes importantíssimos da nossa memória colectiva, no âmbito da cultura e rituais musicais tradicionais.
Curiosamente, encontrei em (http://www.cafeportugal.net/) esta entrevista do seu colaborador directo nessas tarefas, o Maestro Fernando Lopes Graça.

Lopes Graça, fala-nos nesta entrevista de Michael Giacometi, das recolhas que efectuaram, da relação de proximidade que os levou ao Cancioneiro Português.
Esta foi, segundo a minha fonte, a última entrevista que o Maestro deu antes da sua morte em 1994. Assim, este documento assume uma importância acrescida, pois para além do conteúdo interessantíssimo, do ponto de vista das memórias do autor, trata-se do último testemunho de um dos protagonoistas desta aventura que é defender e preservar as nossas raízes culturais.



Fernando Lopes Graça (1906 - 1994)

domingo, 9 de maio de 2010

8º ENCONTRO DE COROS INFANTIS E JUVENIS “NOTAS PRIMAVERIS”

8º ENCONTRO DE COROS INFANTIS E JUVENIS

“NOTAS PRIMAVERIS”

SALÃO PAROQUIAL DE PONTE DO ROL

CASA DA CULTURA

9 de Maio de 2010

15Horas

.Grupo Coral “O Som da Malta” do Clube de Música da EBI Padre Vítor Melícias

.Grupo Vocal Açúcar e Canela de Torres Vedras

.Grupo Coral da Escola de Música Maldonado Rodrigues de Torres Vedras

.Tuna da APECI

.Coro da Fundação Musical dos Amigos da Criança de Lisboa (FMAC)

sexta-feira, 7 de maio de 2010

Encontro de Grupos de Bombos de Escolas em Alfornelos


Teve lugar, em Alfornelos, no dia 6 de Maio de 2010, o "Mudança" - Encontro de Bombos de Alfornelos, no qual participou o Grupo "RiBombar".
Foi uma experiência muito rica para todos os participantes e uma jornada de alegre convívio entre amantes do ritmo e da percussão. Está de parabéns a organização da responsabilidade da EB de Alfornelos, nomeadamente, o Prof. António Neves, mentor desta iniciativa.
Obrigado pelo convite!
Apresentamos um pequeno vídeo do evento...





quarta-feira, 5 de maio de 2010

"Pé Ante Pé" - Grupo Desportivo Loriguense Promove Actividade de Lazer

Numa brilhante iniciativa do Grupo Desportivo Loriguense, teve lugar no passado dia 2 de Maio, uma Caminhada de Loriga ao Fontão, a que chamaram "Pé Ante Pé - Caminhada ao Fontão".
Para quem não saiba, o Fontão é uma localidade anexa à Freguesia de Loriga, com um interessante edificado de xisto e uma beleza que rivaliza com o tão badalado Piódão. Com uma diferença que consideramos vantagem, mais rústico e com bom acesso.
Estas iniciativas são um óptimo cartão de visita para Loriga, só faltando divulgá-las a um público específico, que existe em grande número, nas grandes cidades.
O mercado das actividades de lazer, está em franco crescimento e este percurso, devidamente sinalizado, de acordo com as regras específicas destas actividades, pode atrair a Loriga e, por consequência ao Fontão, um número razoável de visitantes, contribuindo para a economia local, nomeadamente ao nível da restauração e alojamento.
O José Fernandes, como habitualmente, sempre em cima do acontecimento, fez a sua reportagem, o que nos permite, alargar o número dos que podem desfrutar das magnificas paisagens encontradas ao longo do caminho. Tendo a noção de que ao vivo é muito mais interessante, aqui deixamos essa reportagem para aguçar o apetite a potenciais interessados.
Se os houver... certamente o Grupo Desportivo Loriguense, não se importará de... repetir esta iniciativa.

Ocorreu um erro neste dispositivo