Blogue Iniciado em 31 Julho de 2008

Trova Nossa

Este Blog pretende ser um espaço de informação sobre várias matérias relacionadas com a Música e o Som de uma forma geral, mas irá ter uma preocupação muito especial com a nossa música tradicional, por um lado, e, por outro, com as Músicas do Mundo.
Estará, como é óbvio, à disposição de todos os que queiram colaborar nesta tarefa de divulgar a a nossa música e enriquecer, com o seu contributo, este espaço que se pretende de partilha.

Publicidade

Pesquisar neste blogue

quinta-feira, 13 de maio de 2010

A Força de Acreditar...




Somos o grupo “ComCordas”

Com cordas vamos tocar

Para ser um “ComCordante”

Só é preciso sonhar …


Nós sonhamos o futuro

Que o passado está vivido

Nós cantamos a alegria

Que à vida dá sentido.


Nas cordas do cavaquinho

Pedaços d´alma deixamos

Em notas soltas e vivas

Destas trovas que tocamos.


E um cantar novo de gente

Já se ouve pela cidade

É o nosso Grupo “ComCordas”

Com cordas mas sem idade.


Na sequência do texto “Nunca é tarde para sonhar…” esta brincadeira em meia dúzia de rimas de pé quebrado que não tem outro significado se não o de tentar mostrar que, na passagem do tempo, somos cada vez menos 16 elementos e cada vez mais um grupo. E eu estou a gostar ser parte deste todo, um todo mais alegre, mais motivado, mais confiante em ser “Alguém” …

E a quem devemos este acreditar? A si, professor, e por isso obrigada.

Maria do Espírito Santo

Quem assim escreve tem alma de artista!...

De facto, quando há três meses fui abordado no sentido de ensinar Cavaquinho a um conjunto de pessoas, ainda com um número indefinido, estava longe de imaginar, que estivesse hoje assistir à estreia de um Grupo de Cavaquinhos.
Mas... na realidade, eu nada fiz!
Sim, porque apenas me limitei a fazer o que sempre faço: Incutir nos meus alunos a vontade de se superarem... de procurarem, amanhã, ser melhores que hoje.
Estabelecendo metas e objectivos muito concretos, difíceis, mas concretizáveis. Apoiando-os nas suas dificuldades e ensinando-os a conviver com a pressão.
Neste caso, nem foi preciso ir tão longe.
Percebi desde cedo que, a vontade e determinação, o entusiasmo e a alegria, seriam o combustível ideal para pôr em marcha este veículo.
E... não me enganei.
Três meses volvidos... eis que o "ComCordas" se estreia para gáudio de todos os seus membros, mesmo os mais receosos. Sim, que ter receio, não é impeditivo de subirmos ao palco e enfrentando os nossos fantasmas, superarmo-nos mais uma vez, tendo a consciência de que, dando o nosso melhor, contribuiremos para o sucesso do colectivo.
Afinal é esta a essência do que se considera um verdadeiro "Grupo".
Não, já não somos um conjunto de pessoas... Agora somos o Grupo ComCordas.
Obrigado pelas suas palavras, mas o mérito é vosso!
Pinto Gonçalves

1 comentário:

José Pinto disse...

Olá Professor
Estes versos são um sinal de estima e reconhecimento das pessoas pelo seu trabalho.
Imagino a alegria dos seus formandos quando deram conta que já tocavam em grupo! Eles são fenomenais, competentes e generosos, mas o mérito também é seu. Continue com esse entusiasmo.
Um abraço.

Ocorreu um erro neste dispositivo