Blogue Iniciado em 31 Julho de 2008

Trova Nossa

Este Blog pretende ser um espaço de informação sobre várias matérias relacionadas com a Música e o Som de uma forma geral, mas irá ter uma preocupação muito especial com a nossa música tradicional, por um lado, e, por outro, com as Músicas do Mundo.
Estará, como é óbvio, à disposição de todos os que queiram colaborar nesta tarefa de divulgar a a nossa música e enriquecer, com o seu contributo, este espaço que se pretende de partilha.

Publicidade

Pesquisar neste blogue

quarta-feira, 23 de junho de 2010

O "ComCordas" continua a evoluir...

Quero agradecer à Professora Maria do Espírito Santo, a interessante colaboração que vem mantendo com o "Trova Nossa", enriquecendo-o com a partilha dos seus pensamentos e anseios, relativamente ao projecto que nos é comum - o Grupo "ComCordas".

Desta feita vem dar-nos um pouco da sua perspectiva sobre o dia-a-dia do grupo e da sua evolução.

Obrigado!


Parece que não há nenhum elemento do “ComCordas” com “veia jornalística”, coragem e tempo disponível para dar notícias do nosso grupo de Cavaquinhos. Eu também não tenho essas competências mas disponho de algum tempo e por isso aqui estou. E porquê? Porque no círculo das nossas amizades há gente interessada em consultar este blog e saber de nós e também porque quem não aparece esquece e nós não queremos ser esquecidos.

Pois bem, o “ComCordas” vai fazendo os seus ensaios com a regularidade do costume. Temos agora outras notas e outras músicas e preparamos uma nova actuação para o dia 26 deste mês, integrada na Feira da Semana Serrana em Sacavém.

Foi alargado o repertório mas, exceptuando um “intruso” chamado rock que entrou na minha vida quotidiana há mais de um mês e ainda não me conseguiu prender nem conquistar, o fio condutor continua a ser a nossa música tradicional. É esta música viva, alegre, cheia de ritmo que me faz voltar à infância, que faz o apelo da terra e da voz maternal e me leva num grito de nostalgia e de saudade que dói até um passado que não vai voltar.

É nesta música anónima, poucas vezes escrita mas muitas vezes cantada e dançada que me envolve e me prende. Passada de geração em geração, ela canta e exalta o trabalho, a vida, o amor, os costumes, as crenças, as festividades e representa para além da tradição e da cultura, a memória colectiva de um povo.

É certo que eu também gosto de música clássica e não a vejo como contrária à popular.

Quando há dias o nosso professor, numa abordagem breve, nos disse que a música erudita tem assimilado a música popular eu concordei e lembrei-me de Chopin e das suas danças polacas, as mazurcas, da música cigana da Hungria que se evidencia em obras de Liszt e de Brahms, do fascínio de Mahler pela música popular que ele associava às pequenas orquestras ambulantes que passavam pelas feiras e festas da sua aldeia da Boémia …

Convém acabar por aqui, ainda corro o risco de me perguntarem: “Quem te manda a ti, sapateiro tocar o rabecão?”

Força, “Concordantes”, para dia 26! Força, também professor!

Maria do Espírito Santo Miranda

Sem comentários:

Ocorreu um erro neste dispositivo